A Política de Saúde Mental e a qualidade de vida dos usuários do CAPS AD em Lagarto (SE)

  • Artêmio Ferreira Barreto Centro Universitário AGES

Resumo

A consolidação da Saúde Mental, enquanto política social decorreu de inúmeros fatores, entre os quais às reivindicações e a criação de movimentos sociais por intermédio de profissionais de saúde, familiares de pessoas com transtorno psíquico e os próprios usuários da saúde mental. Essa mobilização foi em prol das melhores formas de tratamento para a pessoa com transtorno mental, bem como, os usuários de álcool e outras drogas. O intuito era o de trocar as formas de tratamentos dentro de um manicômio por uma rede de serviços humanizada que visava à garantia de direitos e cidadania da pessoa com transtorno mental, assim como a reinserção social de tal público-alvo. O Movimento dos Trabalhadores em Saúde Mental (MTSM) foi um forte precursor da Luta Antimanicomial, que por sua vez foi considerado o pontapé inicial para o processo de Reforma Psiquiátrica, mas, para se consolidar como política a Saúde Mental teve que passar por algumas Conferências entre os anos de 1986 a 2001 até que finalmente fosse aprovada a Lei 10.216 da Legislação Básica de Saúde Mental, o que fez com que a Reforma Psiquiátrica ganhasse destaque na esfera federal e assim conseguisse alcançar seu principal objeto que sempre foi substituir os leitos psiquiátricos por outros mecanismos de tratamento ao usuário de saúde mental. A partir daí o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) começa a ganhar espaço e sua atuação passar a ser a melhor forma para atuar no tratamento de tais usuários, tanto no que se considera a garantia de direitos e de cidadania quanto no processo de reinserção social em um trabalho conjunto com a família e comunidade. Diante disso, a presente pesquisa foca nos usuários do Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS AD), aqueles que adquiriram algum transtorno decorrente do uso abusivo de álcool e outras drogas. O objetivo geral buscará investigar o impacto provocado pelo Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS AD) na vida dos usuários de Saúde Mental do município de Lagarto – SE. Assim serão discutidos os instrumentos e mecanismos utilizados no processo de tratamento desses usuários, aonde a equipe multidisciplinar busca trabalhar com base na Redução de Danos. Para finalizar serão discutidos os resultados da atuação dos profissionais do CAPS AD para que seja melhorada a qualidade de vida dos usuários e de seus familiares, aonde serão apresentados os efeitos obtidos por meio da intervenção profissional da equipe da instituição mencionada.

Publicado
2019-02-12
Como Citar
BARRETO, Artêmio Ferreira. A Política de Saúde Mental e a qualidade de vida dos usuários do CAPS AD em Lagarto (SE). Revista Saberes, [S.l.], v. 1, n. 7, p. p. 2-10, fev. 2019. ISSN 2358-5986. Disponível em: <http://npu.faculdadeages.com.br/index.php/revistasaberes/article/view/128>. Acesso em: 22 mar. 2019.
Seção
Artigos Originais