A MODERNIZAÇÃO SINDICAL NO BRASIL E A LUTA PELA SOBREVIVÊNCIA DAS CLASSES REPRESENTATIVAS EM PLENO SÉCULO XXI

  • Lomanto Quiroz da Cunha Centro Universitário AGES
  • Ivagner Araújo Oliveira Centro Universitário AGES
  • Edenilson da Silva Cruz Centro Universitário AGES
  • Eraldo Ferreira de Oliveira Centro Universitário AGES

Resumo

A maioria dos sindicatos no Brasil, ao longo de décadas se acomodaram com a contribuição sindical obrigatória, fato este que se comprova com o boom que se deu com a criação de inúmeros sindicatos em todo país chegando a mais de 17 (dezessete mil) unidades de representação de classe seja pela classes dos trabalhadores e/ou dos empregadores, onde a luz do sistema capitalista tornou-se um negócio rentável e um dos mais lucrativos devido ao repasse do FAT – Fundo de Amparo ao Trabalhador, perdendo assim, a sua verdadeira essência que é a luta por melhores condições de vida das classes trabalhadoras e o bem-estar social dos seus associados. Ademais, dados recentes demostra uma realidade e similitude entre estas categorias quanto ao seu crescimento até a reforma trabalhista que extinguiu a contribuição obrigatória para estes segmentos, qual seja, a inexistência de um rumo quanto a restruturação destes, apesar de ao longo do tempo inúmeras foram as conquistas apresentadas. Contudo, estes organismos ao longo do tempo perderam sua formula qualitativa que era a prestação de serviços aos seus associados para que pudesse se orgulhar de fazer parte de uma instituição que verdadeiramente os representasse, logo com a reforma trabalhista estas instituições terão um enorme desafio a vencer, qual seja, “manter as classes trabalhadores filiadas a estes organismos” sem que esta contribuição seja cobrada de forma compulsória aos seus filiados como previa a carta constitucional e a norma celetista, que agora os suprimiu com o advento da reforma.

Publicado
2018-11-16
Como Citar
CUNHA, Lomanto Quiroz da et al. A MODERNIZAÇÃO SINDICAL NO BRASIL E A LUTA PELA SOBREVIVÊNCIA DAS CLASSES REPRESENTATIVAS EM PLENO SÉCULO XXI. Revista Jurídica ReAGES, [S.l.], v. 1, n. 2, p. p. 2-10, nov. 2018. ISSN 2595-6876. Disponível em: <http://npu.faculdadeages.com.br/index.php/revistajuridica/article/view/149>. Acesso em: 20 jun. 2019.
Seção
Artigos Originais