O SERVIÇO SOCIAL NO FORTALECIMENTO DOS VÍNCULOS FAMILIARES COMO FORMA DE CONSOLIDAÇÃO DA CLÍNICA AMPLIADA NO CAPs AD

  • Marcos Santana Santos Centro Universitário AGES

Resumo

O presente artigo tem o objetivo de refletir sobre o rompimento e fortalecimento dos vínculos familiares de dependentes químicos a partir das experiências do Estágio Curricular Supervisionado em Serviço Social no
Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS AD) desse município. Para construção do artigo foi  necessário consultar autores referências na discussão de dependência química e sobre o trabalho do assistente social na saúde mental, além disso, este artigo analisou os resultados do projeto de intervenção do estágio supervisionado. Durante o processo de estágio, foi percebido a fragilidade e o rompimento dos vínculos  familiares dos usuários dos serviços dessa instituição. Desse modo, surgiu o projeto “o Serviço Social no  fortalecimento dos vínculos familiares” como forma de consolidação da Clínica Ampliada composta por  diversos profissionais e saberes. Diagnosticado a problemática da fragilidade dos vínculos, foi criado este projeto para estreitar os laços afetivos e aproximar a família dos serviços ofertados pela instituição, visto que a família adoece junto com seu membro dependente químico. O método deste projeto consiste no Projeto Terapêutico Singular (PTS) que inclui as famílias nas visitas domiciliares, atendimento psicossocial, oficinas terapêuticas e etc., que contribui estreitamente na relação dos sujeitos com a instituição e também com a restauração dos vínculos familiares. PTS é uma das estratégias que vem contribuir para o fortalecimento da Clínica Ampliada, rompendo com o modelo biomédico de tratar/acompanhar o usuário de substâncias psicoativas. A família é importante neste processo, porém, na maioria das vezes os laços afetivos estão fragilizados, sendo necessário trabalhar o fortalecimento de tais vínculos. Portanto, devemos reconhecer que o sujeito está inserido dentro de um círculo de expressões da “questão social”, assim, necessita da intervenção do assistente social, visto que intervir na realidade é uma condição para amenizar os impactos sociais, psicológico e biológico.

Referências

BRASIL. Portaria nº 3.088, de 23 de dezembro de 2011. Ministério da Saúde. Brasília, 2011.

BRASIL. Código de ética do/a assistente social. Lei 8.662/93 de regulamentação da profissão. - 10ª. ed. rev. e atual. - [Brasília]: Conselho Federal de Serviço Social, 2012.

BRASIL. Saúde Mental. Cadernos de Atenção Básica. nº 34. Departamento de Atenção Básica, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. – Brasília: Ministério da Saúde,
2013. 176 p.

CFESS. Legislação e Resoluções sobre o trabalho do/a assistente social. – Brasília: CFESS, 2011.

VASCONCELOS, Eduardo Mourão. Saúde Mental e Serviço Social: o desafio da subjetividade e da interdisciplinaridade. – 5. ed. – São Paulo: Cortez, 2010.
Publicado
2018-08-07
Como Citar
SANTOS, Marcos Santana. O SERVIÇO SOCIAL NO FORTALECIMENTO DOS VÍNCULOS FAMILIARES COMO FORMA DE CONSOLIDAÇÃO DA CLÍNICA AMPLIADA NO CAPs AD. Revista de Saúde ReAGES, [S.l.], v. 1, n. 2, p. 37-52, ago. 2018. ISSN 2526-4591. Disponível em: <http://npu.faculdadeages.com.br/index.php/revistadesaude/article/view/93>. Acesso em: 19 dez. 2018.
Seção
Artigos Originais