FATORES QUE INFLUENCIAM A BAIXA ADESÃO MASCULINA AO ATENDIMENTO PRESTADO PELA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA SEDE II DO MUNICÍPIO DE SÍTIO DO QUINTO/BA

  • Fabio Luiz Oliveira de Carvalho Centro Universitário AGES
  • Rubeane Oliveira Santos Centro Universitário AGES
  • Lielson dos Santos Ferreira Centro Universitário AGES
  • Ana Paula Gomes Soares Centro Universitário AGES
  • Renan Sallazar Ferreira Pereira Centro Universitário AGES

Resumo

O presente estudo caracteriza-se como uma pesquisa de campo, cujo intuito é discutir os dados obtidos frente à baixa procura por parte dos homens a Atenção Primária a Saúde. Em termos de método fez-se uso de uma pesquisa de natureza quantitativa, cuja investigação é descritiva e exploratória, essa possibilitada através de uma amostra não probabilística ou por conveniência através de uma abordagem de 50 homens inseridos em uma faixa etária a partir dos 20 anos residentes no município de Sítio do Quinto/BA, os quais possuem cadastro na microárea 01 inserida a USF Sede II do referido município. O objetivo que norteia essa pesquisa é: conhecer o comprometimento da saúde masculina do município de Sítio do Quinto (BA), bem como os fatores que os fazem buscar ou não o serviço primário de saúde como forma de prevenção de doenças e promoção de saúde. Os resultados obtidos demonstraram que as doenças mais prevalentes na população entrevistada que tem esse conhecimento restringem-se a HAS - Hipertensão Arterial Sistêmica e DM - Diabetes Mellitus, sendo que a maioria desconhece a existência de alguma doença.

Referências

ALBANO, Ramos Bruno; BASÍLIO, Marcio Chaves; NEVES, Jussara Bôtto. Desafios para a inclusão dos homens nos serviços de Atenção Primária à Saúde. Revista Enfermagem Integrada – Ipatinga: Unileste-MG – V.3 – N.2 – Nov./Dez. 2010.
ANVISA. AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. A ANVISA na redução à exposição involuntária à fumaça do tabaco. 2009. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/. Acesso em: 15 de novembro de 2015.
BRASIL, Ministério da Saúde. Carta dos direitos dos usuários da Saúde. 2ª ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2007.
_______ Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (Princípios e Diretrizes). Brasília, 2009.
CARRARA, Sérgio; RUSSO, Jane A.; FARO, Livi. A política de atenção à saúde do homem no Brasil: os paradoxos da medicalização do corpo masculino. Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 19 [3]: 659-678, 2009.
CARVALHO, Tales de. Sedentarismo, o inimigo público número um. Rev Bras Med Esporte – Vol. 5, N. 3 – Mai/Jun, 1999.
COSTA, Maria Fernanda Lima; BARRETO, Sandhi; GIATTI, Luana. A situação socioeconômica afeta igualmente a saúde de idosos e adultos mais jovens no Brasil? Um estudo utilizando dados da Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios – PNAD/98. Ciência e Saúde Coletiva, 7(4): 813-824, 2002.
FIGUEIREDO, Wagner. Assistência à saúde dos homens: um desafio para os serviços de atenção primária. Ciência e Saúde Coletiva, 10(1): 105-109, 2005.
GOMES, Romeu. Sexualidade masculina e saúde do homem: proposta para uma discussão. Ciência e Saúde Coletiva, 8 (3): 825-829, 2003.
GOMES, Romeu; NASCIMENTO, Elaine Ferreira do; ARAUJO, Fábio Carvalho. Por que os homens buscam menos os serviços de saúde do que as mulheres? As explicações de homens com baixa escolaridade e homens com ensino superior. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 23(3): 565-574, mar, 2007.
PINHEIRO, Letícia Ribeiro Souto; MONTEIRO, Janine Kieling. Refletindo sobre desemprego e agravos à saúde mental. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, 2007, vol. 10, n. 2, pp. 35-45.
SANTOS, Anderson Moreira Aristides dos; JACINTO, Paulo de Andrade; TEJADA, César Augusto Oviedo. Causalidade entre Renda e Saúde: Uma Análise Através da Abordagem de Dados em Painel com os Estados do Brasil. Est. Econ., São Paulo, vol. 42, n.2, p. 229-261, abr.-jun. 2012.
SANTOS, Fabrício Almeida dos. Dinâmica da Acessibilidade Masculina ao Programa de Saúde da Família. Jequié, 2010. Disponível em http://www.uesb.br/. Acesso em: 27 de Novembro de 2015.
SCHRAIBER, Lilia Blima; GOMES, Romeu; COUTO, Márcia Thereza. Homens e saúde na pauta da Saúde Coletiva. Ciência e Saúde Coletiva, 10(1): 7-17, 2005.
SILVA, Bárbara Fabrícia. Processo saúde-doença: representações sociais de homens assistidos pelo Programa Saúde da Família. Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2013.
SILVA, Margareth Ribeiro M. S.; MENDONÇA, Helenildes. (In) Satisfação dos Valores Laborais e Estresse: Análise de um Modelo Moderacional. Psic. Teor. e Pesq., Brasília, Jan-Mar 2013, Vol. 29 n 1, pp 41-49.
Publicado
2017-02-09
Como Citar
DE CARVALHO, Fabio Luiz Oliveira et al. FATORES QUE INFLUENCIAM A BAIXA ADESÃO MASCULINA AO ATENDIMENTO PRESTADO PELA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA SEDE II DO MUNICÍPIO DE SÍTIO DO QUINTO/BA. Revista de Saúde ReAGES, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 58-87, fev. 2017. ISSN 2596-0970. Disponível em: <http://npu.faculdadeages.com.br/index.php/revistadesaude/article/view/4>. Acesso em: 22 set. 2019.
Seção
Artigos Originais