RISCOS BIOLÓGICOS E CONDIÇÕES DE BIOSSEGURANÇA EM LABORATÓRIOS DE MICROBIOLOGIA

  • Rudvan Cicotti Alves de Jesus Universidade Tiradentes

Resumo

RESUMO


A preocupação básica deste estudo é refletir sobre as condições de biossegurança nos laboratórios de microbiologia e os riscos biológicos que os mesmos estão sendo expostos, como também os profissionais que estão em contato direto com o risco de contágio, e poder discernir quais as consequências dos acidentes biológicos. Este artigo tem como objetivo analisar a importância dos conceitos de biossegurança adotados juntamente dos métodos empregados, assim como a preparação e técnicas de controles biológicos, bem como as normas e regras de contenção adotadas pelas agências reguladoras, com a intenção de prevenir qualquer eventual acidente no ambiente de trabalho. Realizou-se uma pesquisa bibliográfica considerando as contribuições de autores como ISHAK, et. al. (1989), FONSECA (2012), NETHERLANDS (2005), OMS - Organização Mundial da Saúde (2004), TEIXEIRA (2010), entre outros, procurando enfatizar a importância das relações entre entidades que fazem a normatização e fiscalização dos graus de contenção de material biológico, como de riscos biológicos, de tal forma a assegurar toda segurança dos funcionários, bem como fazer parcerias entre os institutos que e o ministério da saúde para criar programas de atualização e capacitação de pessoal para trabalhar em laboratórios de material biológico, para que desta forma seja minimizado e até extinto os acidentes nos laboratórios, de modo a garantir que o processo no ambiente de trabalho aconteça com qualidade e segurança.


 


Palavras-chave: Biossegurança. Laboratórios de microbiologia. Material biológico. Riscos biológicos.

Referências

ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Biossegurança. Rev. Saúde Pública, 2005; 39(6)989-91. Disponível em: . Acesso em 04 de dez. de 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento do Complexo Industrial e Inovação em Saúde. Classificação de risco dos agentes biológicos / Ministério da Saúde, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento do Complexo Industrial e Inovação em Saúde. – 2. ed. – Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2010. Disponível em: . Acesso em 27 de nov. de 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Ciência e Tecnologia. Classificação de risco dos agentes biológicos / Ministério da Saúde, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Ciência e Tecnologia. – Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2006. 36 p. – (Série A. Normas e Manuais Técnicos). Disponível em: . Acesso em 28 de nov. de 2018.

BRITO, Ana Luiza Sene.; NORMA REGULAMENTADORA 32: informações dos médicos e acadêmicos de medicina. Escola de Enfermagem Wenceslau Braz. Itajubá, 2012. Disponível em: . Acesso em 27 de nov. de 2018.
FAGUNDES, Gilmara.; NR-32 uma realidade na área hospitalar. 2009. Disponível em: . Acesso em 27 de nov. de 2018.

FONSECA, Caroline dos Santos da.; BIOSSEGURANÇA EM LABORATÓRIOS DE ANÁLISES CLÍNICAS: o estudo de caso do Laboratório de Análises Clínicas Biocenter de Pato Branco/PR. Universidade Federal de Santa Catarina. (p. 92), Florianópolis, 2012. Disponível em: . Acesso em 04 de dez. de 2018.

ISHAK, R.; LINHARES, A. C.; ISHAK, M. O. G. Biossegurança no Laboratório. Revista do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo 31 (2): 126-131, março-abril, 1989. Disponível em: . Acesso em 27 de nov. de 2018.

Ministério do trabalho. NR32 - NR 32 - Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde. 2011 Disponível em: . Acesso em 27 de nov. de 2018.

NETHERLANDS, Eurachem. Acreditação para laboratórios de microbiologia/Eurachem Netherlands Laboratory of the Government Chemist of United Kingdom; tradução ANVISA. – Brasília: SENAI/DN, 2005. 37p. (Série Habilitação; 3). Disponível em: . Acesso em 27 de nov. de 2018.

OMS - Organização Mundial da Saúde. A crescente ameaça da resistência antimicrobiana - Opções de ação. KIENY, Marie-Paule.; Diretora-geral assistente Núcleo de Inovação, Informação, Evidência e Pesquisa Organização Mundial da Saúde, 2012.

OMS - Organização Mundial da Saúde. Manual de segurança biológica em laboratório. 3ª ed. Genebra, 2004.

TEIXEIRA, Pedro.; BORBA, Cíntia de Moraes.; Riscos biológicos em laboratórios de pesquisa. Biossegurança: uma abordagem multidisciplinar. 2. ed. / Organizado por Pedro Teixeira e Silvio Valle. (442 p.) - Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2010.
Publicado
2019-07-10
Como Citar
JESUS, Rudvan Cicotti Alves de. RISCOS BIOLÓGICOS E CONDIÇÕES DE BIOSSEGURANÇA EM LABORATÓRIOS DE MICROBIOLOGIA. Revista de Saúde ReAGES, [S.l.], v. 2, n. 4, p. p. 28-33, jul. 2019. ISSN 2596-0970. Disponível em: <http://npu.faculdadeages.com.br/index.php/revistadesaude/article/view/218>. Acesso em: 25 set. 2020.
Seção
Artigos Originais